Não Julgueis

25 de setembro de 2014








✦ Não Julgueis ✦

JESUS DIZ: "Não julgueis", e este é um dos maiores ensinamentos jamais proferidos por qualquer homem no mundo. Isso é uma das coisas mais impossíveis para a mente. A mente julga de imediato; sem qualquer base, a mente faz um julgamento. Você fez muitos julgamentos, sem sequer ver se existia ou não alguma base para eles. E se olhar bem profundamente, verá que Jesus está certo.

Todo julgamento é errado, porque o mundo todo está tão profundamente interligado que, a menos que você conheça o todo, não poderá conhecer a parte. Uma coisa leva à outra, porque está interligada. O momento presente está interligado com todo o passado e com todo o futuro. Neste momento culmina toda a eternidade. Tudo que aconteceu está aí; tudo que está acontecendo está aí; tudo que acontecerá está aí. Como você pode julgar? O mundo não está dividido. Se estivesse dividido, então um fragmento poderia ser conhecido, mas o mundo é uma totalidade.

Todos os julgamentos são falsos, porque são parciais — e eles vão reivindicar como sendo o todo.

Sim, Jesus está absolutamente certo: "Não julgueis", porque o próprio julgamento vai fechar você; será uma morte interior. Sua sensibilidade estará perdida, e com ela a sua possibilidade de crescimento. No momento em que julga,você diminui, você pára; quando julga, você não floresce mais.

Assim, a maior coisa é ser corajoso o bastante para não julgar. Na verdade, suspender um julgamento é a maior coragem, porque a mente está tão ansiosa para julgar, para dizer bom ou mau, certo ou errado. A mente é adolescente, pula de um julgamento para outro. Se você quiser algum dia sair da mente — e sem isso não há possibilidade de crescimento interior —, então: "Não julgueis".
(...)

Uma vez que julgue, você pára de crescer. Julgamento significa um estado estagnado da mente. Agora o movimentou parou, o esforço de saber mais parou, o esforço de crescer parou. Você já fez seu julgamento e terminou. E a mente sempre deseja julgar, porque o movimento a incomoda. Estar em processo é sempre arriscado. Chegar a uma conclusão significa que se alcançou a meta; agora não há jornada.

Uma pessoa que deseja chegar até o Supremo deveria fazer do não julgar o seu ponto básico. E muito difícil, quase impossível — porque, antes que você saiba, a mente julga. Antes mesmo que tome consciência disso, a mente julgou. Mas se tentar, pouco a pouco surge uma consciência sutil, e então você pode suspender o julgamento. E se suspender o julgamento, terá se tornado religioso.

Então você não sabe o que é certo e o que é errado. Mas, comumente, as pessoas que você chama de religiosas são pessoas que sabem tudo — o que é certo e o que é errado, o que fazer e o que não fazer. Elas têm consigo todos os mandamentos. Por isso é que as pessoas religiosas se tornam teimosas, insensíveis. Sua caminhada parou; elas não estão crescendo, em absoluto. O rio não está se movendo; ficou estagnado. Se você quer movimento, crescimento — e movimento e crescimento infinitos são possíveis porque Deus não é um ponto estático, mas o total movimento da vida, da existência —, se você quer caminhar com Deus, então precisará se mover continuamente. Você precisa estar continuamente a caminho.

Aliás, a jornada jamais termina. Uma estrada termina, outra se abre; uma porta se fecha, outra se abre. Um pico mais alto sempre está lá. Você chega a um pico e já ia descansar, pensando que havia conquistado tudo — subitamente, um pico mais alto ainda aparece adiante. De pico em pico, nunca chega ao fim; é uma jornada sem fim. Deus é uma jornada sem fim. Por isso é que apenas aqueles que são muito, muito corajosos — tão corajosos que não se importam com a meta, mas ficam felizes com a própria jornada, apenas para se mover com a vida, fluir com o rio, apenas para viver o momento e crescer dentro dele —, apenas esses são capazes de caminhar com Deus.

As pessoas orientadas pela meta são medíocres. Todos os seus realizadores são medíocres. O que você pode alcançar? Pode alcançar o Supremo? Se você pode alcançar o Supremo só pela sua realização, não será o Supremo. Se você pôde alcançá-lo, como pode ser o Supremo? Você pode alcançar a meta? Você? Então a meta será menor do que você. Não, a meta não pode ser alcançada. Na verdade, não há meta e é bom que não haja. Eis por que a vida não morre jamais, pois cada meta seria uma morte e você não seria mais necessário.
(...)

Texto: Não Julgueis - Livro: Antes Que Você Morra - OSHO
Imagem: Andy Roberts - Getty Images




Reação:
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Obrigada pelo Comentário. Responderei assim que possível.
Andressa Bragança

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...