{Lua Cheia}

13 de outubro de 2016





Imagem: Gettyimages


A Lua Cheia

A Lua Cheia reflete o aspecto materno da Deusa, cujo amor e plenitude revelam e inspiram as melhores qualidades das suas filhas. O momento é de realização e manifestação, de colher o que foi plantado, de assumir as responsabilidades pelas opções e de expressar sem medo o potencial e o poder pessoal inatos. A energia da Lua Cheia aumenta a percepção psíquica, aprofunda as meditações e os sonhos, favorece os encantamentos de fertilidade, criatividade, nutrição, prosperidade, sensualidade, ampliação e frutificação de dons, recursos e conquistas.

A energia da Lua Cheia é fértil, alegre e abundante, de celebração da colheita (das realizações, sucessos e dádivas recebidas) e de comunhão amorosa, irmanada, solidário. Sendo o auge do poder lunar e da maré cheia, essa fase lunar é o momento perfeito para rituais de natureza feminina, ritos de passagem, praticas magicas, irradiações de energias e orações de paz, plenitude e amor para o mundo. 

A Mãe oferece suas energias nutrizes, a Deusa está no ápice do Seu poder e gloria, a luz lunar afasta as ameaças das sombras e revela os mistérios guardados na noite dos tempos. A energia da lua cheia facilita as dinâmicas psicológicas pessoais, a cura dos conflitos e feridas na relação mãe-filha, a descoberta e solução de lembranças e processos dolorosos da condição feminina, ligados à menarca, gravidez, abortos, esterilidade, menopausa, velhice e relações familiares. 

Favorece encantamentos e meditações para abundancia, saúde, beleza, sorte, inspiração, comunicação, fertilidade, felicidade, intuição, amor, poder, proteção, sexualidade, parceria, sabedoria, bênção.

Além de pedir, a Lua Cheia também é o momento propício para agradecer as davidas recebidas: sua vida, emprego, saúde, família, proteção, caminho espiritual e o fato de ter nascido mulher. 

Deusas regentes: 
Aditi, Al-Lat, Asherah, Asase Yaa, Amma, Akka, Anu, Baú, Chang-O, Ceres, Cerridwen, Cibele, Coatlicue, Danu, Devi, Deméter, Eurynome, Frigga, Gaia, Hera, Hina, Inanna, Ishtar, Ilmatar, Ísis, Hathor, Luonetar, Mader  Akka, Mami, Mawu, Mokosh, Neith, Nerthus, Nu Kwa, Oduddua, Omamama, Ops, Parvati, Rhea, Sedna, Tellus Mater, Tethys, Tiamat, Tonantzin, Umaj, Iemanja, Zemina.

Deusas Lunares sem associação com sua tríplice manifestação: 
Aradia, Akka, Arianrhod, Anunit, Britomartis, Artemis, Bendis, Bil, Chang-O, Coatlicue, Coyolxaunhqui, Diana, Han-Lu,  Hécate, Hina, Huitaca, Ishtar, Ísis, Ix Chlel, Luna, Levanah, Mama Quila, Mawu, Selene, Tlazolteotl, Úrsula, Iemanja.

-----------

Fonte:
Círculos Sagrados Para Mulheres Contemporâneas - Mirella Faur
O Anuário da Grande Mãe - Mirella Faur







Reação:
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Obrigada pelo Comentário. Responderei assim que possível.
Andressa Bragança

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...